Carrancas / MG



Local : Cidade de Carrancas / MG

Evento : Viagem para conhecer as cachoeiras de Carrancas.

Viagem de ida partindo do Alemão(Washington Luis) : 25/05/2012 - 08:00 hs
Chegada em Carrancas : 14:00 hs

Viagem de volta : 27/05/2012 - 10:15 hs
Chegada em Maricá : 16:30hs

Total de Km percorridos : 944,7 Km
Gastos de Gasolina : R$ 155,95 (51,3 L)

Gastos com Pedágios : (03) - R$ 24,00 (Ida e volta)

Local do Camping : Camping do Luis (centro da cidade - ao lado da Taberna dos Inconfidentes)
Gastos com camping : R$ 24,00 (2 diárias)

Gastos com alimentação :  Aproximadamente R$ 100,00



A escolha da cidade de Carrancas para essa viagem foi ao acaso, quando visualizando no Google Maps o trajeto até a Cidade de Capitólio, também em MG, acabei por ver no caminho uma estrada sem saída, se embrenhando por dentro do verde das matas e com vários pontos sinalizados no mapa como sendo água, então em uma ampliação do mapa descobri esse paraíso de Carrancas.
Em uma pesquisa pelo Google cheguei ao site www.carrancas.com.br e pude visualizar belas fotos das diversas cachoeiras, o que rapidamente me fez mudar de idéia sobre ir até Capitólio, decidindo por Carrancas que era um pouco mais perto, exatamente 473 km partindo aqui de Maricá/RJ.
Ao comentar com alguns amigos sobre a idéia da viagem acabei conseguindo 2 companheiros de viagem nessa aventura, mas um deles, o Maguim, de SP, acabou desistindo em cima da hora.
Assim, ficamos apenas eu e meu amigo Pallas aqui do RJ para mais essa aventura.
No dia 25/05/12 (sexta-feira) às 06:30hs nos encontramos no Restaurante do Alemão na Rodovia Washington Luis para começarmos a viagem, mas a neblina era tanta que tivemos que esperar até às 08:00hs para subirmos a serra e pegarmos a BR-040 em direção à MG.
A viagem transcorreu sem problemas, com velocidade média de 120 km/h e apenas duas paradas para abastecimento, tendo sido a primeira em Areal/RJ e a segunda em Barbacena/MG, com chegada em Carrancas às 14:00 hs.
Chuva só pegamos uma pancada bem forte no caminho, entre a cidade de Itutinga e Carrancas e durante a noite de sexta-feira choveu novamente, mas aí já estavamos em um barzinho bebendo as brejas geladas e jogando conversa fora.
O caminho para Carrancas é muito fácil, bastando seguir pela BR-040 desde o RJ até Barbacena/MG e de lá seguir pela BR-265 sentido São João Del Rei.
Após passar por São João Del Rei é só continuar seguindo pela BR-265 até Itutinga e de lá alcançar a estrada que leva até Carrancas.
A época do ano escolhida para a viagem não era das mais agradáveis para frequentar cachoeiras, mas em compensação a cidade estava deserta e com isso podemos dizer que as cachoeiras eram todas nossas.
Os campings e pousadas vazios, restaurantes e bares quase todos fechados até no fim de semana e as ruas desertas, assim estava a cidade de Carrancas durante nossa passagem por lá, sem contar que nos dias 26 e 27/05 estava acontecendo uma festa religiosa muito tradicional em uma localidade distante uns 70 km de Carrancas, o que contribui ainda mais para o esvaziamento da cidade por parte dos moradores, mas como granse parte do trajeto era por estrada de chão, então achamos melhor não arriscarmos de irmos pra lá de moto durante a noite.
No dia que chegamos em Carrancas tinhamos acabado de montar as barracas lá no Camping do Luis quando chegou um casal de mineiros de BH, muito gente boa, o Hugo e a Janaína, com quem logo fizemos amizade e durante a noite de sexta e sábado nos fizeram companhia nos bares da cidade.
Na sexta-feira fomos conhecer a Cachoeira da Fumaça e no sábado conhecemos as cachoeiras da Prosa, Moinho, Toca, Poço do Coração e a Gruta da Toca, fora algumas outras cachoeiras que encontramos pelo caminho, mas não tem placas indicando os nomes, o que te deixa perdido em relação a saber em qual cachoeira você está naquele momento, sem contar que é preciso entrar em propriedades particulares para acessar as cachoeiras
Nossa volta para o RJ foi antecipada por algumas horas devido ao tempo, pois no domingo amanheceu com garoa fina, impedindo que conhecessemos um pouco mais das Cachoeiras de Carrancas.
Assim como na ida, a volta também foi bem tranquila, com saída de Carrancas às 10:15 hs e chegada em Maricá/RJ às 16:30hs, com paradas em Barbacena/MG e Areal/RJ.
Será necessário combinarmos uma outra viagem até Carrancas para desfrutarmos das belezas das outras diversas cachoeiras e grutas que não tivemos tempo de conhecer, mas da próxima vez será com certeza em dias ensolarados.


A entrada da cidade de Carrancas


A visão que se tem lá de cima da estrada beirando o paredão é um espetáculo.



Meu barraquinho e a mansão do Pallas.



Vista de outro ângulo a mansão do Pallas escondia meu barraquinho.


Essas maritacas (a dona do camping disse que eram papagaios) moram lá no camping.



Nossos vizinhos de Camping.


Na sexta-feira só tivemos tempo de conhecer a Cachoeira da Fumaça, pois escureceu rápido.










As estradas que levam até as cachoeiras não são nada agradáveis para nossas motos.




Em minhas viagens pelas cidades de interior sempre vi esses cupinzeiros nas fazendas e achava algo intrigante, mas essa foi a primeira vez que cheguei tão perto de um.




Eu tinha lido na internet recomendações excelentes sobre o café da manhã nesse local, mas quando passamos por lá nem conseguimos visualizar a sede da fazenda de tão longe que ficava da estrada, então nem pensar em entrar com as motos ali.






No sábado o céu amanheceu bem nublado, mas até que foi bom, pois fizemos uma caminhada de 6 horas passando por trilhas, fazendas e morros.


A Igreja Matriz e que de 15 em 15 minutos fica tocando so sinos em uma gravação pelos auto falantes.







Durante os dias em que ficamos em Carrancas as ruas do centro da cidade estavam sempre assim desertas.




Caminho para a Cachoeira da Prosa.


Ao fundo o centro da cidade de Carrancas, já bem distante.





Cachoeira da Prosa





Passamos por entre essas vacas cheios de medo de tomarmos uma corrida delas



Da Cachoeira da Prosa seguimos para a Cachoeira do Moinho, sempre por trilhas e as vezes tendo que atravessar pequenos rios e passando por outras cachoeiras menores escondidas no meio da mata.











Aqui o medo já foi de tomarmos uma corrida de cachorros.



Não conseguimos identificar qual era a Cachoeira do Moinho, mas com certeza era uma dessas.




Pode até não parecer, mas as duas fotos seguintes são trilhas para acesso à uma das cachoeiras.










Aqui já é o acesso para a Cachoeira da Toca, Gruta da Toca e Poço do Coração.



Cachoeira da Toca



 
 


Poço do Coração

O acesso até o Poço do Coração após ter chovido na noite anterior foi meio complicado, pois as trilhas estavam cheias de lama e vez por outra era uma escorregada ou o pé ficava atolado.




Gruta da Toca

Estavamos por um bom tempo pertinho dessa gruta, mas a entrada fica escondida no meio do mato e nem sabiamos de sua existência, mas por sorte quando já estavamos indo embora chegaram dois garotos que falaram pra gente sobre a gruta e então decidimos dar uma conferida.
São poucos metros de claridade e depois só escuridão, com um pouco de água correndo por todo o caminho que fizemos dentro da gruta. De acordo com os garotos a gruta tem 2 km de extensão, mas após uns 30 metros tivemos que voltar porque a bateria do celular lanterna do Pallas estava acabando.





Passagem para se chegar à Pousada da Toca


Odômetro da moto ao chegar em casa.


Aqui um filme da Cachoeira da Fumaça.